Instagram

30 março 2012

Austeridade. E nós, PINA!

O antigo ministro das Finanças Pina Moura reconheceu hoje que tomaria as mesmas medidas de austeridade que o actual Governo, que disse ser o primeiro em 10 anos a apresentar um rumo para o país. Porque há 15 anos tinha um rumo bem definido como atesta a sua biografia. Do Pina espera-se tudo: "o que é novo - e esse aspecto é muito importante e de saudar com muita veemência - é que pela primeira vez nos últimos 10 anos este Governo mostrou que tem um rumo para enfrentar as dificuldades e para virar a situação estrutural da economia portuguesa", notícia o DN reproduzindo as palavras do antigo ministro de António Guterres antes de uma conferência sobre o futuro da Europa na Faculdade de Economia da Universidade do Porto.
O Pina anda esquecido. Enquanto ministro da Economia e das Finanças teve em mãos a reestruturação do sector energético, um tema que motivou polémica e que justificou a criação de uma comissão de inquérito parlamentar relativo à entrada da Eni e da Iberdrola no capital da Galp.
E agora nós, PINA!

O CURIOSO foi, após sair do Executivo e depois de uma curta passagem pelo Parlamento, Pina Moura ter passado para o sector privado, ocupando o lugar de presidente da Iberdrola em Portugal.

E agora nós, PINA!
Biografia
1972. Comunista
1995. Socialista
1997/99. Ministro da Economia e das Finanças do XIII Governo liderado por António Guterres.
2004. Liberal. Presidente da Iberdrola


***



27 março 2012

Dia Mundial do Teatro

Maria João Luís, Isabel Ruth e Luís Castro

Neste dia mundial do teatro fui ao baú e encontrei esta foto...

***

26 março 2012

Hotel Axis, Viana do Castelo

Hotel Axis, Viana do Castelo

O Axis Viana está entre os 11 hotéis eleitos pela revista norte-americana de turismo e viagens "Budget Travel" como uma das “maravilhas da arquitectura”.
A revista evidencia a construção em forma de lego do hotel português – da autoria do arquitecto Jorge Albuquerque.

***


25 março 2012

Antonio Tabucchi (1943-2012)




O escritor italiano Antonio Tabucchi morreu hoje em Lisboa, aos 68 anos. Depois de descobrir a obra de Fernando Pessoa, Antonio Tabucchi foi sobretudo um amante de Portugal. Fica a sua obra...

***


Portugal Low Cost

Portugal Low Cost

Portugal Low Cost é um novo programa da RTP1 que tem como finalidade divulgar as belezas e as potencialidades turísticas de um Portugal de baixo custo. Com um fraco guião roçando o risível este programa remete três jovens lindíssimas para um duplo discurso: a apresentação das excelências e o da “loira burra” embrenhadas nos percursos deste Portugal Low Cost a descobrir.
Ver Andreia Teles, Bárbara Magalhães e Marisa Miranda dentro de um “pão de forma” conduzido erraticamente é como se assistíssemos a uma patranha de fazer corar o Flower Power.

***


Finalmente, hora de verão

Hora de Verão: à uma hora da manhã passam a ser duas.

Hoje se se sentir atrasado não desespere, é que hoje os relógios adiantaram uma hora, dando início ao horário de verão em Portugal.

***

23 março 2012

Portugal fica sem TGV e sem TAP



O Governo de Passos Coelho acaba de “arrumar” definitivamente o TGV. Contrariamente ao que os seus antecessores do PSD quando estiveram no Governo coligado com PP que aprovaram o mais ambicioso investimento público em valor e calendário apesar da contestação aos grandes projectos de obras públicas: uma rede de alta velocidade ferroviária (TGV) com quatro linhas para Espanha.
Como leigo, e espectador a ver os comboios passar, recordo que no tempo de António Guterres estavam em discussão duas linhas: Lisboa/Porto/Vigo e Lisboa/Porto/Madrid. Mas na cimeira luso-espanhola da Figueira da Foz em 2003, Durão Barroso e José Maria Aznar aprovaram as ligações Lisboa/Madrid, Porto/Vigo até 2010, Lisboa/Porto até 2013 e Aveiro/Salamanca até 2015.
Numa guerra de autarcas discutia-se quantos apeadeiros em outros tantos concelhos que o traçado recortava poderia o TGV bafejar. Assim, ficava condicionada a mais estudos a quinta ligação, entre Faro e Huelva.
Recorrendo à notícia do DN o «investimento totalizava nove mil milhões de euros, apenas em infra-estrutura, foi aprovado por proposta do então ministro das Obras Públicas, Carmona Rodrigues. Na altura, Manuela Ferreira Leite era a ministra das Finanças e de Estado, considerada o número dois do Governo liderado por Durão Barroso, e não se lhe conhecem críticas públicas à decisão. Em 2005, poucos meses após a tomada de posse, o ministro das Finanças de José Sócrates saiu do Governo. A oposição pública de Luís Campos e Cunha aos grandes projectos do aeroporto, então na Ota, e à rede de alta velocidade (TGV), foi apontada como a principal razão.
Após chegar ao poder, o Governo socialista avançou com a revisão do projecto herdado da anterior legislatura. Meses antes, o Executivo de Santana Lopes e António Mexia tinha dado luz verde à ligação de TGV Lisboa/Porto, utilizando a Linha do Norte nas entradas às duas cidades, o que tornava o investimento mais económico. O ministério de Mário Lino e de Ana Paula Vitorino abandonou esta opção, preferindo uma linha totalmente nova entre Lisboa e Porto, mais cara. Foi adiada por três anos a data da principal ligação de Lisboa/Madrid e ficaram sem datas as linhas de Porto/Vigo e Aveiro/Salamanca, consideradas não prioritárias. Mais tarde, ficou decidido avançar com uma solução mista para Porto/Vigo». Neste “brainstorming” político podemos concluir que os ziguezagues verificados remetem-nos para aquela máxima que somos “um povo que não se governa nem se deixa governar”.
Em epílogo, o Ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, acaba de enunciar a “grande medida” do seu mandado: Portugal fica semTGV e sem TAP.






***

21 março 2012

Cromeleque dos Almendres


O Cromeleque dos Almendres localiza-se na freguesia de Nossa Senhora de Guadalupe, no concelho de Évora, Distrito de Évora, em Portugal.

GPS 38° 33′ N 08° 3′ W

Constitui-se no monumento megalítico mais importante da península Ibérica, e um dos mais importantes da Europa, não apenas pelas suas dimensões, como também pelo seu estado de conservação.


***

Foto: Luís Barreira, 2006

19 março 2012

Pai

father and son
father and son

Father

It's not time to make a change,
Just relax, take it easy.
You're still young, that's your fault,
There's so much you have to know.
Find a girl, settle down,
If you want you can marry.
Look at me, I am old, but I'm happy.

I was once like you are now, and I know that it's not easy,
To be calm when you've found something going on.
But take your time, think a lot,
Why, think of everything you've got.
For you will still be here tomorrow, but your dreams may not.

Son

How can I try to explain, when I do he turns away again.
It's always been the same, same old story.
From the moment I could talk I was ordered to listen.
Now there's a way and I know that I have to go away.
I know I have to go.

Father

It's not time to make a change,
Just sit down, take it slowly.
You're still young, that's your fault,
There's so much you have to go through.
Find a girl, settle down,
if you want you can marry.
Look at me, I am old, but I'm happy.

Son


All the times that I cried, keeping all the things I knew inside,
It's hard, but it's harder to ignore it.
If they were right, I'd agree, but it's them you know not me.
Now there's a way and I know that I have to go away.
I know I have to go.

***

18 março 2012

Os desempregados vão passar a ganhar, cultura.

Cultura desempregada...
O culto do desemprego ou o desemprego da cultura. Numa altura em que foram divulgadas as intenções de não financiar nenhuma actividade cultural para o ano 2012 o Governo anuncia que «as pessoas em situação temporária de desemprego vão passar a entrar gratuitamente nos museus, monumentos e palácios tutelados pela Secretaria de Estado da Cultura a partir do próximo dia 27 de Março, Dia Mundial do Teatro.
Vai ser ainda levada a cabo uma política de descontos para pessoas em situação de desemprego nos Teatros Nacionais, Cinemateca e Companhia Nacional de Bailado (CNB) a partir da mesma data.
Assim, as pessoas em situação de desemprego passarão a pagar um bilhete de preço fixo na Cinemateca e no Teatro Nacional Dona Maria II de 1,35 euros (preço Amigo da Cinemateca) e 6 euros (valor do bilhete do dia no Teatro Nacional Dona Maria II) respectivamente. Já no Teatro Nacional São João, no Porto, irão beneficiar de um desconto de 50% no preço dos bilhetes. Esta política de discriminação positiva prevê ainda um desconto de 25% nos espectáculos da CNB e do Teatro Nacional São Carlos.
O desconto ou a entrada gratuita a aplicar a situações de desemprego estão dependentes da apresentação do comprovativo de inscrição no Instituto de Emprego e Formação Profissional ou de qualquer outro comprovativo emitido pela Segurança Social.
No caso dos Teatros Nacionais, Cinemateca e Companhia Nacional de Bailado os descontos estão limitados a um número máximo por sessão definido pelos organismos.
A medida abarca todo o universo de pessoas em situação de desemprego.»
O que não compreendemos é que alguém ouse pensar que um desempregado coloque a cultura como prioridade em detrimento das suas necessidades básicas. Segundo as palavras do Secretário de Estado da Cultura: “Trata-se de uma medida que vai ao encontro das melhores práticas europeias. Gostaríamos que as pessoas que têm hábitos culturais não vissem o seu acesso à cultura limitado por se encontrarem numa situação de desemprego”.
A cultura está sempre ligada directamente proporcional ao bem-estar social… e o bem-estar social é o primeiro indicador de Cultura.


***




17 março 2012

A capela de Nossa senhora da Lapa

Capela da Nossa Senhora da Lapa. Foto de Miguel Costa

A capela de Nossa senhora da Lapa, está situada na freguesia de Soutelo, perto da vila de Vieira do Minho, Norte de Portugal.

CAPELA DE NOSSA SENHORA DA LAPA - SOUTELO 
"O único documento existente que nos relata a história desta Lapa e da Nossa Senhora é um documento escrito datado de 1851. Tal documento encontra-se emoldurado num quadro dentro da Lapa do Soutelo. Os idealizadores da capela foram João Gonçalves e a sua esposa, a senhora Margarida da Silva, oriundos da freguesia de Santo Adrião de Soutelo, em 1694. Depois da capela ter sido erigida, a imagem de Nossa Senhora foi ali mantida e adorada com tal devoção que, em 1697, os peregrinos requereram a Roma uma irmandade com jubileu perpétuo. Apesar disso, em 1788, a imagem foi levada para a freguesia de Outeiro, onde outra capela tinha sido edificada. O motivo da transferência seria o facto de que o local original era um lugar remoto e sujeito a profanação por parte de ladrões. No lugar original foi construído um pequeno muro ao redor da cavidade e foi colocada uma cruz no topo do enorme bloco granítico, mostrando desta forma que este local era sagrado e que desta forma não seria esquecido. Decorria o ano de 1805, quando Nossa Senhora da Lapa surgiu diante de uma pequena pastorinha, no local onde inicialmente a imagem tinha surgido. Sabendo do ocorrido, o pai da criança deslocou-se ao local a fim de constatar o ocorrido. Quando a sua filha apontou para o local da aparição, lá estava a Nossa Senhora novamente. Rapidamente a notícia da aparição se espalhou pelas localidades mais próximas, iniciando as romarias no primeiro dia do mês de Junho. Em 10 de Junho de 1805 reuniram-se mais de quinhentas pessoas neste local. Dado o enorme fluxo de peregrinos, o abade Rodrigues Ramos ordenou a construção de um altar por baixo do bloco granítico onde a imagem de Nossa Senhora tinha surgido. Ordenou também que a área em redor fosse convenientemente preparada de forma a receber o maior fluxo de peregrinos possível. Mais tarde, a mando do abade Manuel Gonçalves o altar passou por melhorias assim como a tribuna, enquanto que outros arranjos posteriores foram feitos por António José Rodrigues, entre outros. Hoje em dia, são muitos os que visitam esta bela região onde se situa Soutelo e a sua bela capela, a qual está fechada a maior parte do tempo, abrindo apenas para algumas cerimonias religiosas".

Texto de Catherine Ferreira



***


16 março 2012

"Batota com Às de Ouros"


Georges da La Tour (1593-1652)
“Le Tricheur à l'as de carreau”, 1635
Óleo S/tela, 106 cm x 146 cm
Museu do Louvre à Paris


 * * *



15 março 2012

Inquérito ao BPN



Um inquérito que antes de o ser já não era.
Menos de uma hora depois do anunciado inquérito potestativo pelo PS, a maioria PSD CDS apresentam um novo pedido de inquérito com os mesmos objectivos.
A única certeza que ficou da guerra de comissões de inquérito ontem travada no Parlamento entre o PSD e o PS é que a gestão e a privatização do BPN não vão ser escrutinadas pela Assembleia da República apesar do acordo final apontar para uma (só uma) comissão de inquérito (notícia).
Esta comissão de inquérito ao BPN vai remexer tudo para concluir nada.
O caso BPN, envolto em mistérios insondáveis, apresenta-se como um caso que nada prestigia a democracia, os políticos e os gestores portugueses. PS e PSD não querem um inquérito ao BPN porque têm culpas no cartório. O desbulho verificado no BPN custaram aos contribuintes mais 5 mil milhões e os responsáveis por tais actos passarão incólumes em todo este processo.
Será que o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, se lembra de alguma coisa, facto, que possa constar no prefácio de algum roteiro?

***


14 março 2012

12 março 2012

Infidelidades inconstitucionais






***


Cavaco descobre o artigo 201 da Constituição... Depois do lapso de memória, no que diz respeito às reformas auferidas do Banco de Portugal (que não dão para as suas despesas), Cavaco acusa, um ano depois, o ex-primeiro-ministro, José Sócrates, de deslealdade.
Acusar agora Sócrates de traição é como acusar o ex-cônjuge de infidelidade.
Cavaco anda muito esquecido.



11 março 2012

A Ginjinha do Rossio

A Ginjinha do Rossio, Lisboa


A ginjinha provém de uma receita de licor inspirada nas práticas antigas dos monges de Cister usando apenas produtos naturais, sem quaisquer conservantes artificias. Possui uma cor rubi, com um sabor intenso a ginja, podendo ser consumido a qualquer momento ou no fim de uma refeição, como digestivo. A ginjinha imortalizada pelo poeta Fernando Pessoa no prazer da degustação deste néctar encontra em Lisboa, para além da Ginjinha do Rossio, a Ginjinha Espinheira, fundada em 1840 pelo galego Francisco Espinheira no Largo de São Domingos, a Ginjinha Sem Rival, fundada no século XIX na Rua das Portas de Santo Antão, a Ginjinha Rubi, fundada em 1931 na Rua de Barros Queirós e a Ginjinha do Carmo, fundada no século XXI na Calçada do Carmo, os locais onde a “prova” se tornaram “culto pós-pop” na cidade de Lisboa.
* * *



09 março 2012

QUEM QREN TRAMAR O ÁLVARO?

O Megaministério da Economia e muitas mais mestrias, de Álvaro dos Santos Pereira, viu quartada a sua acção ao retirarem-lhe competências: o acompanhamento das privatizações, o emprego jovem e agora os Fundos Comunitários do QREN para os seus pares. Assim, não admira que o Álvaro se tenha ficado pela internacionalização do pastel de nata.
Segundo noticia o Público “o primeiro-ministro, Passos Coelho, assegura que o Governo “não está a alterar as competências” ministeriais nem “está à compita dentro de si próprio para saber quem tem mais” competências a propósito da responsabilidade da gestão dos fundos do QREN”.
É demasiado óbvio que Passos Coelho QREN um governo cada vez mais pequeno nas competências e muito maior nas assessorias. Não é o que o Vítor Gaspar QREN?


***


08 março 2012

Dia internacional da Mulher - 8 de Março



Os estádios (os direitos humanos na sua plenitude) em que se encontra a Mulher nos mais diversos cantos do mundo permitem que ainda se fale num dia internacional da mulher. Neste dia internacional da mulher (8 de Março) deverá, sobretudo, discutir-se o papel da mulher na sociedade assim como o seu contributo, ou a falta dele.
Inúmeras mulheres poderiam ser recordadas, enaltecidas, pelos seus feitos, pelo sofrimento ou pela humilhação infringida, neste dia. A minha singela homenagem sintetizada em Artemisia Gentileschi a primeira mulher a entrar para a Academia de Arte de Florença.


Artemisia Gentileschi (Roma, 1593 – Nápoles, 1653)
Judith e a sua Serva (1613-14)
Óleo s/tela 
Palazzo Pitti, Florence


* * *


07 março 2012

Vidago since 1886


A marca Vidago recebeu recentemente o prémio “Melhor Nova Garrafa de Vidro” nos Water Innovation Awards 2011, da FoodBev, distinção atribuída à sua garrafa de vidro fosco, de 0,75 cl, lançada em Outubro de 2010.

Numa altura em que se fala tanto em competitividade o Design é sem dúvida um valor acrescentado de qualquer economia desenvolvida de referência: a Vidago apresenta um produto “gourmet”.



 
* * *


06 março 2012

Casa do Penedo

Casa do penedo

Na Serra de Fafe, no caminho entre Fafe e Celorico de Basto, encontra-se a mais insólita construção arquitectónica: a casa do penedo.



* * *


05 março 2012

Não pensam em estudar? Não estudem!



Video candidato ao TOP + da pieguice política. Excelente.




* * *

Rory McIlroy number one

Rory McIlroy, number one.

Rory McIlroy.
O miúdo que aos dez anos sonhava com uma vitória num dos “majors” – conseguido no ano passado no US Open – e ser o número um do mundo não foi apanhado na “Bear trap” de Palm Beach Gardens, na Florida, assumindo a liderança do "ranking" mundial de golfe.
McIlroy, de 22 anos, destronou o inglês Luke Donald e tornou-se no segundo mais jovem líder do "ranking" mundial, logo atrás do norte-americano Tiger Woods, que em 1997 subiu ao "trono" com 21 anos e 24 semanas.
Toda a atenção está agora voltada para o ROR: para o ROR (rugido) de Tiger que na última volta fez 62 pancadas (-8) prometendo um regresso à imagem de campeão inabalável ou para o ROR (diminutivo) McIlroy, o miúdo prodígio.


***




04 março 2012

FEMEN e Putin

Putin vence presidenciais com 58,3% dos votos mas não se livrou do clamor das mulheres do FEMEN que protestaram com frases pintadas no corpo como: "O Rato do Kremlin", "Eu roubo por Putin" e "Ladrão nº 3" - esta última uma referência por antecipação ao terceiro mandato presidencial que Putin deve conquistar.


* * *



Abriu a época oficial do “tiro ao Álvaro”.


Abriu a época oficial do “tiro ao Álvaro”. A perda sistemática de poderes do ministro da Economia como na criação de emprego jovem e formação para Relvas, no acompanhamento das privatizações para uma comissão e agora na gestão dos fundos comunitários (QREN) para o ministro das Finanças está a ser encarada, por algumas fontes fidedignas do PSD, como um sinal de que Álvaro Santos Pereira estará a prazo. O “super-ministro” que dantes comparou o seu ministério com os "dois ministérios e meio" aparece diante das câmaras da televisão e dos jornalistas em particular agastado dando sinais de não saber para onde se voltar: se para os pasteis de nata, se para a alheira de Mirandela ou se, eventualmente, para a internacionalização das sandes de courato.

Com tanto "tiro ao álvaro" "quase que simpatizo com ele", com diz José Medeiros Ferreira.

* * *


03 março 2012

Hisaji Hara fotógrafo, Balthus pintor


Fotógrafo japonês Hisaji Hara (原久路 略歴) reproduz as obras de arte de Balthus em imagens fotográficas a preto e branco concedendo-lhes um ar intemporal.
Recentemente, Hara expôs numa mostra os plácidos retratos monocromáticos que nos parecem estranhamente familiares - e na verdade, todos eles são modelados a partir das pinturas de Balthus (1908-2001), um dos artistas "malditos" mais considerados do século XX.
<><><><>
Hisaji Hara
A Study of 'The Salon', 2009.
Balthus,
The Lascaraky Sisters

"Site" oficial do Hisaji Hara: http://hisajihara.com/




* * *


02 março 2012

A balada de Lana Del Rey, Video Games



Confesso que fiquei impressionado com esta balada e com a voz de Lana Del Rey no video oficial de promoção ao seu álbum.

Do mesmo modo fiquei decepcionado com a actuação ao vivo (live on Jools Holland, Oct.11, 2011) ...


...afinal a menina não sabe cantar!


* * *



Clube europeu


Cristiano Ronaldo disse que iria ao europeu de futebol para ganhar. Os mais medrosos saíram a terreiro para dar uma reprimenda ao craque português: o nosso objectivo é mais comedido, jogar joga a jogo, passar a fase de grupos e depois logo se verá…
No desporto como na vida devemos ter ambições e pautarmo-nos sempre pelas maiores, sem atropelos, obviamente, sem injustiças, com certeza.
Neste clube europeu Passos Coelho assinou, hoje, o pacto exigido pela Alemanha que consagra o crescimento económico e promoção do emprego em resposta à recessão que já está de regresso à Zona Euro e numa altura em que o desemprego nos vários países alcançou recordes. Com este tratado, a maior potência económica da Europa consegue que os países se comprometam a inscrever na sua Constituição o princípio de que os orçamentos nacionais devem ser “equilibrados ou excedentários”.
«Isto quer dizer que os défices estruturais dos países, ou seja, ajustados ao ciclo económico e expurgados de medidas extraordinárias, não devem superar os 0,5% do produto interno bruto (PIB). No máximo, o défice poderá atingir 1% do (PIB), mas só quando o valor da dívida pública for "significativamente abaixo de 60% e os riscos em torno da sustentabilidade de longo prazo das finanças públicas forem baixos(in Jornal de Negócios).
Os Líderes europeus assinaram o tratado internacional que põe redução do endividamento no topo da lista das prioridades das políticas nacionais. Passos Coelho joga para passara fase de grupos (não sair do euro) prometendo cumprir com este tratado constrangedor o que inevitavelmente nos levará a jogar para nunca descer de divisão.
E, segundo o Jornal de Negócios, no caso de Portugal o cumprimento do novo Tratado significa que, depois da austeridade exigida pela ajuda externa, pela frente estão longos anos, senão mesmo décadas, de aperto orçamental. As projecções existentes, do FMI e da OCDE, sugerem que a dívida nunca estará abaixo dos 60% antes de 2030. O passado recente revela, por seu turno, que toda a Zona Euro será sujeita a uma disciplina que raramente conseguiu cumprir. Inclusive no caso da Alemanha: desde 1995, só em oito anos manteve o défice abaixo do limite máximo de 3%.
Alguém acredita que com este espartilho orçamental poderemos crescer sem podermos investir?



***



01 março 2012

MANIFESTO ANTI-DANTAS



Basta pum basta!!!
Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi. É um coio d'indigentes, d'indignos e de cegos! É uma resma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!
Abaixo a geração!
Morra o Dantas, morra! Pim!
Uma geração com um Dantas a cavalo é um burro impotente!
Uma geração com um Dantas ao leme é uma canoa em seco!
O Dantas é um cigano!
O Dantas é meio cigano!
O Dantas saberá gramática, saberá sintaxe, saberá medicina, saberá fazer ceias pra cardeais, saberá tudo menos escrever que é a única coisa que ele faz!
O Dantas pesca tanto de poesia que até faz sonetos com ligas de duquesas!
O Dantas é um habilidoso!
O Dantas veste-se mal!
O Dantas usa ceroulas de malha!
O Dantas especula e inocula os concubinos!
O Dantas é Dantas!
O Dantas é Júlio!
Morra o Dantas, morra! Pim!
O Dantas fez uma soror Mariana que tanto o podia ser como a soror Inês ou a Inês de Castro, ou a Leonor Teles, ou o Mestre d'Avis, ou a Dona Constança, ou a Nau Catrineta, ou a Maria Rapaz!
E o Dantas teve claque! E o Dantas teve palmas! E o Dantas agradeceu!
O Dantas é um ciganão!
Não é preciso ir pró Rossio pra se ser pantomineiro, basta ser-se pantomineiro!
Não é preciso disfarçar-se pra se ser salteador, basta escrever como o Dantas! Basta não ter escrúpulos nem morais, nem artísticos, nem humanos! Basta andar com as modas, com as políticas e com as opiniões! Basta usar o tal sorrisinho, basta ser muito delicado, e usar coco e olhos meigos! Basta ser Judas! Basta ser Dantas!
Morra o Dantas, morra! Pim!
O Dantas nasceu para provar que nem todos os que escrevem sabem escrever!
O Dantas é um autómato que deita pra fora o que a gente já sabe o que vai sair... Mas é preciso deitar dinheiro!
O Dantas é um soneto dele-próprio!
O Dantas em génio nem chega a pólvora seca e em talento é pim-pam-pum.
O Dantas nu é horroroso!
O Dantas cheira mal da boca!
Morra o Dantas, morra! Pim!
O Dantas é o escárnio da consciência!
Se o Dantas é português eu quero ser espanhol!
O Dantas é a vergonha da intelectualidade portuguesa!
O Dantas é a meta da decadência mental!
E ainda há quem não core quando diz admirar o Dantas!
E ainda há quem lhe estenda a mão!
E quem lhe lave a roupa!
E quem tenha dó do Dantas!
E ainda há quem duvide que o Dantas não vale nada, e que não sabe nada, e que nem é inteligente, nem decente, nem zero!
Vocês não sabem quem é a soror Mariana do Dantas? Eu vou-lhes contar:
A princípio, por cartazes, entrevistas e outras preparações com as quais nada temos que ver, pensei tratar-se de soror Mariana Alcoforado a pseudo autora daquelas cartas francesas que dois ilustres senhores desta terra não descansaram enquanto não estragaram pra português, quando subiu o pano também não fui capaz de distinguir porque era noite muito escura e só depois de meio acto é que descobri que era de madrugada porque o bispo de Beja disse que tinha estado à espera do nascer do Sol!
A Mariana vem descendo uma escada estreitíssima mas não vem só, traz também o Chamilly que eu não cheguei a ver, ouvindo apenas uma voz muito conhecida aqui na Brasileira do Chiado. Pouco depois o bispo de Beja é que me disse que ele trazia calções vermelhos.
A Mariana e o Chamilly estão sozinhos em cena, e às escuras, dando a entender perfeitamente que fizeram indecências no quarto. Depois o Chamilly, completamente satisfeito, despede-se e salta pela janela com grande mágoa da freira lacrimosa. E ainda hoje os turistas têm ocasião de observar as grades arrombadas da janela do quinto andar do Convento da Conceição de Beja na Rua do Touro, por onde se diz que fugiu o célebre capitão de cavalos em Paris e dentista em Lisboa.
A Mariana que é histérica começa a chorar desatinadamente nos braços da sua confidente e excelente pau de cabeleira soror Inês.
Vêm descendo pla dita estreitíssima escada, várias Marianas, todas iguais e de candeias acesas, menos uma que usa óculos e bengala e ainda toda curvada prá frente o que quer dizer que é abadessa.
E seria até uma excelente personificação das bruxas de Goya se quando falasse não tivesse aquela voz tão fresca e maviosa da Tia Felicidade da vizinha do lado. E reparando nos dois vultos interroga espaçadamente com cadência, austeridade e imensa falta de corda... Quem está aí?... E de candeias apagadas?
- Foi o vento, dizem as pobres inocentes varadas de terror... E a abadessa que só é velha nos óculos, na bengala e em andar curvada prá frente manda tocar a sineta que é um dó d'alma o ouvi-la assim tão debilitada. Vão todas pró coro, mas eis que, de repente, batem no portão sem se anunciar nem limpar-se da poeira, sobe a escada e entra plo salão um bispo de Beja que quando era novo fez brejeirices com a menina do chocolate.
Agora completamente emendado revela à abadessa que sabe por cartas que há homens que vão às mulheres do convento e que ainda há pouco vira um de cavalos a saltar pla janela. A abadessa diz que efectivamente já há tempos que vinha dando pela falta de galinhas e tão inocentinha, coitada, que naqueles oitenta anos ainda não teve tempo pra descobrir a razão da humanidade estar dividida em homens e mulheres. Depois de sérios embaraços do bispo é que ela deu com o atrevimento e mandou chamar as duas freiras de há pouco com as candeias apagadas. Nesta altura esta peça policial toma uma pedaço d'interesse porque o bispo ora parece um polícia de investigação disfarçado em bispo, ora um bispo com a falta de delicadeza de um polícia d'investigação, e tão perspicaz que descobre em menos de meio minuto o que o público já está farto de saber - que a Mariana dormiu com o Noel. O pior é que a Mariana foi à serra com as indiscrições do bispo e desata a berrar, a berrar como quem se estava marimbando pra tudo aquilo. Esteve mesmo muito perto de se estrear com um par de murros na coroa do bispo no que se mostrou de um atrevimento, de uma insolência e de uma decisão refilona que excedeu todas as expectativas.
Ouve-se uma corneta tocar uma marcha de clarins e Mariana sentindo nas patas dos cavalos toda a alma do seu preferido foi qual pardalito engaiolado a correr até às grades da janela gritar desalmadamente plo seu Noel. Grita, assobia e rodopia e pia e rasga-se e magoa-se e cai de costas com um acidente, do que já previamente tinha avisado o público e o pano cai e o espectador também cai da paciência abaixo e desata numa destas pateadas tão enormes e tão monumentais que todos os jornais de Lisboa no dia seguinte foram unânimes naquele êxito teatral do Dantas.
A única consolação que os espectadores decentes tiveram foi a certeza de que aquilo não era a soror Mariana Alcoforado mas sim uma merdariana-aldantascufurado que tinha cheliques e exageros sexuais.
Continue o senhor Dantas a escrever assim que há-de ganhar muito com o Alcufurado e há-de ver que ainda apanha uma estátua de prata por um ourives do Porto, e uma exposição das maquetes pró seu monumento erecto por subscrição nacional do "Século" a favor dos feridos da guerra, e a Praça de Camões mudada em Praça Dr. Júlio Dantas, e com festas da cidade plos aniversários, e sabonetes em conta "Júlio Dantas" e pasta Dantas prós dentes, e graxa Dantas prás botas e Niveína Dantas, e comprimidos Dantas, e autoclismos Dantas e Dantas, Dantas, Dantas, Dantas... E limonadas Dantas- Magnésia.
E fique sabendo o Dantas que se um dia houver justiça em Portugal todo o mundo saberá que o autor de Os Lusíadas é o Dantas que num rasgo memorável de modéstia só consentiu a glória do seu pseudónimo Camões.
E fique sabendo o Dantas que se todos fossem como eu, haveria tais munições de manguitos que levariam dois séculos a gastar.
Mas julgais que nisto se resume literatura portuguesa? Não Mil vezes não!
Temos, além disto o Chianca que já fez rimas prá Aljubarrota que deixou de ser a derrota dos Castelhanos pra ser a derrota do Chianca.
E as pinoquices de Vasco Mendonça Alves passadas no tempo da avózinha! E as infelicidades de Ramada Curto! E o talento insólito de Urbano Rodrigues! E as gaitadas do Brun! E as traduções só pra homem do ilustríssimos excelentíssimo senhor Mello Barreto! E o frei Matta Nunes Moxo! E a Inês Sifilítica do Faustino! E as imbecelidades do Sousa Costa! E mais pedantices do Dantas! E Alberto Sousa, o Dantas do desenho! E os jornalistas do Século e da Capital e do Notícias e do Paiz e do Dia e da Nação e da República e da Lucta e de todos, todos os jornais! E os actores de todos os teatros! E todos os pintores das Belas-Artes e todos os artistas de Portugal que eu não gosto. E os da Águia do Porto e os palermas de Coimbra! E a estupidez do Oldemiro César e o Dr. José de Figueiredo Amante do Museu e ah oh os Sousa Pinto hu hi e os burros de cacilhas e os menos do Alfredo Guisado! E (o) raquítico Albino Forjaz de Sampaio, crítico da Lucta a quem Fialho com imensa piada intrujou de que tinha talento! E todos os que são políticos e artistas! E as exposições anuais das Belas-Arte(s)! E todas as maquetas do Marquês de Pombal! E as de Camões em Paris; e os Vaz, os Estrela, os Lacerda, os Lucena, os Rosa, os Costa, os Almeida, os Camacho, os Cunha, os Carneiro, os Barros, os Silva, os Gomes, os velhos, os idiotas, os arranjistas, os impotentes, os celerados, os vendidos, os imbecis, os párias, os ascetas, os Lopes, os Peixotos, os Motta, os Godinho, os Teixeira, os Câmara, os diabo que os leve, os Constantino, os Tertuliano, os Grave, os Mântua, os Bahia, os Mendonça, os Brazão, os Matos, os Alves, os Albuquerques, os Sousas e todos os Dantas que houver por aí!!!!!!!!!
E as convicções urgentes do homem Cristo Pai e as convicções catitas do homem Cristo Filho!...
E os concertos do Blanch! E as estátuas ao leme, ao Eça e ao despertar e a tudo! E tudo o que seja arte em Portugal! E tudo! Tudo por causa do Dantas!
Morra o Dantas, morra! Pim!
Portugal que com todos estes senhores conseguiu a classificação do país mas atrasado da Europa e de todo o Mundo! O país mais selvagem de todas as Áfricas! O exílio dos degredados e dos indiferentes! A África reclusa dos europeus! O entulho das desvantagens e dos sobejos! Portugal inteiro há-de abrir os olhos um dia - se é que a sua cegueira não é incurável e então gritará comigo, a meu lado, a necessidade que Portugal tem de ser qualquer coisa de asseado!
Morra o Dantas, morra! Pim!


José de Almada Negreiros
Poeta d'Orpheu
Futurista E Tudo
1915

***